Anatomia de Uma Queda | Crítica

Em "Anatomia de Uma Queda", uma mulher é suspeita de ter assassinado o marido, encontrado morto na neve em frente ao chalé onde vivem nos Alpes franceses, enquanto o filho cego enfrenta a pressão de ser a principal testemunha do caso.

A partir desse ponto, acompanhamos todo o desenrolar do caso, desde a instauração do inquérito policial até a prolação da sentença. 

Inicialmente, acompanhamos as diligências da investigação, como perícia, depoimentos e reconstituições. O espectador vai sendo apresentado aos fatos como um observador externo, tomando ciência das mesmas informações que a polícia consegue colher.

No entanto, quando se inicia o julgamento, percebemos que a trama vai além do subgênero "filme de tribunal". Somos conduzidos a uma viagem pela cruel realidade da psicologia do relacionamento do casal.

Sandra (Sandra Hüller) e Samuel (Samuel Theis) formam um casal de nacionalidades diferentes. Ela é alemã, e ele é francês; casaram-se enquanto viviam na Inglaterra. Tiveram Daniel (Milo Machado Graner), um menino que ficou cego após um acidente que rearranjou a vida de toda a família.

Impactados financeiramente, mudam-se da cosmopolita Londres para um chalé isolado nas montanhas francesas, onde Samuel nasceu e buscava mais tempo para si depois abandonar a carreira de professor para, assim como Sandra, dedicar-se à escrita.

Entre angústias, traumas, frustrações e diversos outros sentimentos e ressentimentos, imagina-se o quanto tudo isso gerou de conflitos e dito ou não dito entre os dois.

Sob o escrutínio do tribunal, são escancaradas questões que dificilmente saem do âmbito de um casal, isso quando não ficam internalizadas apenas nos pensamentos de cada um.

Ao testemunhar o julgamento da própria mãe, o pré-adolescente Daniel é exposto a uma dimensão de conhecimentos que normalmente nenhum filho tem acesso sobre seus progenitores.

Crescemos protegidos ao máximo dos problemas que nossos pais conseguem nos esconder. Mesmo que presenciemos brigas e situações vexatórias, ainda assim, vemos apenas o que está na superfície, longe do que está afligindo o âmago deles.

"Anatomia de Uma Queda", portanto, é uma dissecação nua e crua da história de um casamento marcado por um evento traumático. Tudo isso apresentado em um filme muito bem dirigido e escrito, contando ainda com uma atuação soberba de sua atriz protagonista, Sandra Hüller.

Além disso, tem potencial para se tornar uma obra queridinha nas faculdades de Direito, suscitando debates acerca de temas jurídicos como valor da prova, ampla defesa e integridade das testemunhas.

"Anatomia de Uma Queda" estreia na quinta-feira, dia 25 de janeiro, nos cinemas.