Crítica - Palm Springs



Feitiço do Tempo, No Limite do Amanhã, A Morte Te Dá Parabéns, o quê esses filmes têm em comum com Palm Springs, novo filme dos atores Andy Samberg (Brooklyn Nine-Nine) e Cristin Milioti (How I Met Your Mother)? 

Eles trabalham com a temática de loop temporal. Quando o protagonista fica revivendo o mesmo dia até resolver o problema que o mantém preso neste loop.


Em Palm Springs, somos apresentados a Nyles (Samberg) como um convidado bem fora dos padrões em um casamento. Ocasião em que ele conhece Sarah (Milioti), irmã da noiva, que aparentemente não está muito confortável de participar da cerimônia.

Os dois se conhecem até que ocorre alguma coisa estranha. E neste momento, Sarah se vê presa com Nyles no dia do casamento de sua irmã. O que ela não sabe é que ele está preso neste loop há tanto tempo, que nem mesmo sabe mais quantas vezes já viveu aquele mesmo dia.


Dirigido por Max Barbakow, o filme estreou na plataforma de streaming Hulu. E posso dizer com toda certeza que Palms Springs é uma das melhores surpresas do ano até agora. Por ser uma comédia romântica que não segue uma fórmula tradicional, Samberg e Milioti não fazem às vezes de casais típicos desse gênero, o que faz com que o longa seja divertido ao longo dos seus 90 minutos.


Palm Springs é uma excelente dica para você que curte uma boa comédia romântica com um pouco de humor debochado.
Nota: 9,5

Postar um comentário

2 Comentários

  1. Eu sou viciado em qualquer filme de looping temporal, curti muito esse Palm Springs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O filme realmente é muito bom e foi uma boa surpresa para esse ano.

      Excluir