As Séries Adolescentes dos Anos 90 e 2000

O que séries como Barrados no Baile, Dawson’s Creek, The O.C e Gossip Girl, têm em comum, além de serem voltadas para um público jovem? Elas são produções que vão se sucedendo umas às outras, de forma que cada uma delas vai atingindo uma geração de público diferente.

Comecei a reassistir Dawson’s Creek, na Netflix, sendo que assisti a série ano passado na Amazon Prime Vídeo e não terminei. O motivo? As temporadas vão ficando mais chatas e o personagem que eu gostava, vai perdendo muita relevância.

Mas vamos ao motivo do texto. Por mais que seja obvio, eu acabei percebendo que os seriados adolescentes mais badaladas dos anos 90 e inicio dos 2000, estrearam em sequência, uma atrás das outras.

A primeira desta leva é Barrados no Baile. O programa estreou nos EUA em 1990, mas só chegou aqui no Brasil em 1992. A trama girava em torno dos irmãos Brandon e Branda Walsh, que chegam em Beverly Hills na Califórnia, após uma promoção no emprego do pai deles. 

Para a época, a série abordou temas bem polêmicos, como Aids, violência domestica, suicídio, abuso de drogas, gravidez na adolescência e estupro. O que fez com que ela fosse um sucesso entre os os adolescentes da época.

A série foi um sucesso de audiência tanto nos EUA, quanto aqui no Brasil. O publico alvo era uma audiência entre 13 e 25 anos de idade. O atração durou 10 temporadas, com seu último episódio exibido no dia 17 de maio de 2000.

Por mais que Barrados no Baile tenha sido um grande sucesso, a audiência que começou a assistir o show em 1992, já era um público envelhecido nos últimos anos da série, e uma nova geração que chegava na adolescência precisavam de um novo programa para chamar de seu. 

Foi quando em 1998, é lançada Dawson’s Creek. Na trama, acompanhamos o jovem Dawson, um aspirante a diretor de cinema e seus amigos Joey, Pacey, Jen e Jack. Assim como Barrados no Baile, Dawson’s Creek, também vai abordar temas polêmicos, como saúde mental, infidelidade no casamento, professora tendo caso com aluno menor de idade, homossexualismo, abuso de bebidas alcoólicas, entre outros.

Por mais que a show se chame Dawson’s Creek, tenho que ressaltar aqui que os melhores personagens do programa são Joey (Katie Holmes) e Pacey (Joshua Jackson), simplesmente porque, para mim, são os melhores desenvolvidos na trama. Joshua Jackson, até mais que Katie Holmes. O personagem do Dawson é o típico menino mimado que idealiza um mundo perfeito e acha que o tudo gira ao seu redor.

A série duraria de 1998 a 2003, quando estrearia outra série para uma nova geração de adolescentes.


No dia 5 de agosto de 2003, temos a chegada The O.C. ou como é chamada no SBT, The O.C.: Um estranho no Paraíso. Vou revelar para vocês que a série foi o meu programa de adolescência junto com Smallville. Na época em que ela estreou, eu estava com 16 anos de idade, vivendo várias aventuras, como viagens para casa de praia com amigos, namoricos no colégio e passeios de van.

The O.C. nos apresenta o personagem de Ryan, um jovem infrator que é preso e que vai ter sua vida mudada, quando é adotado pelo rico casal Cohen. Morando agora na luxuosa região de Orange Country, Ryan vai conhecer o filho dos Cohen, Seth, além de sua vizinha Marissa e sua amiga Summer. A série, assim como as anteriores vai trabalhar temas como drogas, abusos de bebidas, sexualidade, problemas psicológicos, etc.

The O.C, se não me falha a memoria, começa com a onda de dar uma popularizada na imagem dos Nerds na cultura pop com o personagem de Seth Cohen. Essa ideia vai continuar com a série "Chuck", do mesmo criador SchwartzO programa durou de 2003 a 2007, quando é substituído por outra série, também assinada pelo showrunner: Gossip Girl. 


Baseada no livro homônimo, Gossip Girl estreou após o fim de The O.C. O seriado teria como cenário a Big Apple em Nova Iorque e focaria mais uma vez em um bando de jovens brancos e ricos com suas intrigas e muitas drogas, sexo e fofocas.


O que podemos notar é que por mais que sejam séries de épocas diferentes, os assuntos abordados nas mesmas são recorrentes. Temas com sexualidade, dores do crescimento, consumo de dorgas, entre outros, estão sempre presentes nessas produções. Além de uma predominância de elenco caucasiano e o foco nas classes mais altas da sociedade americana. 

É evidente que houveram outras produções do tipo, mas as destacadas aqui acabam sendo as mais importantes por representarem uma sequencia de sucessos que acompanhou várias gerações nessa virada de século.

Hoje, graças ao streaming, acredito que o número de séries tenha ficado ainda maior, possibilitando vários outros dramas adolescentes para as novas gerações. Um bom exemplo é a série Os 13 Porquês. Ela contém vários aspectos de suas antecessoras. Uma predominância de um elenco branco, de classe média e tramas que abordam problemas típicos dos adolescentes. 

Postar um comentário

0 Comentários