Que o HBO-Max morra e leve “todo” os outros streamings

 


A noticia da semana são os cancelamentos no cinema e de série da empresa da caixa d’agua. Mas a onda de cancelamentos não ficou apenas nas produções, ela chegou no HBO-Max. Rolam boatos que a nova administração pode vir a encerrar o streaming e eu vejo isso com bons olhos e espero que essa inciativa da Warner chegue nos outros Estúdios que tem uma plataforma de filmes.

Uso o termo que o amigo Ken-oh usou em um papo sobre o assunto, “antes existem um eco sistema equilibrado”, camarada Ken, está coberto de razão, quando a Netflix reinava sozinha, a gigante vermelha, não tinha que se preocupar em ficar produzindo um conteúdo original atrás do outro. Simplesmente porque ela comprava os direitos de exibição de terceiros, com isso ela tinham um leque de conteúdos variados de vários estúdios e podia se dedicar em produzir em menor escala seus próprios filmes e séries tentando prezar por uma qualidade melhor.

Mas quando a Disney (Marvel, Fox e Disney) Warner, Paramount e outros grandes estúdios os decidem ter seus streamings, esse “eco sistema” perfeito pode vir a sofrer um colapso. Quando essas empresas entram na jogada, essa perfeição entra pelo cano, simplesmente porque a fonte da Netflix, vai diminuir, ela ganha concorrentes de peso, isso faz com que ela tem que produzir mais filmes e séries contra profissionais no assunto, que já tem toda um “know how” no assunto.

Com a entrada da concorrência especializada, Netflix, acaba tendo que produzir mais e mais rápido, visto que Warner, Disney e afins acabam tirando os conteúdos premium da plataforma dela e jogando para seus próprios serviços.

Mas nem tudo são flores neste mundo e o “eco sistema perfeito” não acaba apenas para Netflix, ele gera problemas para os gigantes também. Quando a Disney decide criar seu serviço, ela já sai em desvantagem por causa do nome. Com uma marca que limita alguns conteúdos, o Disney Plus, acaba não sendo um serviço bom, porque é um serviço nichado que se segura com os produtos da Marvel e Star Wars, que sejamos sinceros são produtos bem medianos, e são poucos que se salvam.

Streamings com Paramout plus e outros pouco passam por problemas de não terem conteúdos premium que chamem a atenção do grande público. Acredito que por esse motivo a empresa gaste dinheiro com produções mas não recebe nada, nem assinantes.


E a Warner, com seu HBOMARX? Hoje em dia, para mim é o melhor serviço, simplesmente porque atende minhas necessidades. Nesse ponto, é evidente que essa é uma opinião partícula. Mas com a recente fusão com a Discovery, parece que a nova gestão quer começar a economizar dinheiro e como ela vai fazer isso? Cortando tudo que ela pode cortar. E parece que nessa leva o HBOMAX, vai morrer. Mas o termo mais correto para mim não é morrer, mas sim ganhar uma reformulação.

Quais são os motivos que me levam a pensar isso. Vamos lá. A partir de agora a argumentação é especulativa.


Acredito que para os estúdios é muito mais rentável ser como era antes, simplesmente porque eles ganhavam dinheiro vendendo as licenças para Netflix e com isso geravam um possível lucro para eles. Quando eles decidem entrar no mercado, o dinheiro não entra tão fácil quanto sai. Vamos ser sinceros, as assinaturas não pagam nem o salário do elenco de uma série premium. Agora, a venda da licença, geram dinheiro. A Netflix, pagavam cerca de R$100 milhões de dólares para disponibilizar Friends em seu catálogo. Lembrando que produzir o filme cancelado da Batgirl, foi R$90 milhões. Seinfeld, fez a gigante vermelha desembolsar o valor de R$500 milhões de Dolores para os donos dos direitos da sitcon. É importante mencionar que o valor alto pela série foi grande também, porque os outros serviços (Amazon, Hulu, CBS All Access e HBO Max) tinham interesses no programa.

Com isso, acredito eu que manter um streaming seja muito mais custoso que fornecer os direitos ou firma parcerias com terceiros. Vale lembrar mais uma vez, que essa “morte” da HBO Max é na verdade uma reformulação do serviço que a nova administração vai realizar. Mas a verdade mesmo era que seria boa a morte do serviço da Warner e que ela fosse o inicio para que Disney, Paramount e afins começassem a debandar desta área e voltassem como eram antes.

Parece coisa de pessoa implicante, mas quando temos muito produtos no mercado, a tendencia é que esses produtos acabem perdendo a qualidade. Para dar base a minha argumentação, vejam a nova “qualidade” da Netflix, quando teve que começar a produzir a toca que caixa. E o problema nem é apenas esse, já, já as empresas vão inventar alguma coisa para tirar mais dinheiro do consumidor, cobrar compartilhamento de senhas, colocar comercias e afins.

Temos que lembrar sempre, que as empresas não fazem caridade e tudo é dinheiro. Esses produtos tem a “obrigação” de gerar lucro e o que não gera lucro acaba.


Postar um comentário

2 Comentários

  1. Acho a discussão bem válida, mas também acredito que como essas empresas não abrem seus números de acessos, fica difícil a gente saber realmente o que está rolando lá na sala de reuniões com o pessoal do financeiro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, a impressa como um todo fica no escuro sem saber a real em relação a esses números. Não vejo a morte do serviço em geral, mas talvez uma reduzida.

      Excluir