MORNING SHOW - A critica mais atrasada da história


The Morning Show é uma das séries originas do streaming da Apple. O programa foi inspirado no livro de Brain Stelter (Top the morning). A série tem um elenco de peso com nomes de Jennifer Aniston, Reese Witherpoon, Billy Crudup, MArk Dupplas, Gugu Mbatha-Raw e Steve Carell. 



Sendo umas das estreias premium do Streaming da Apple, The Morning Show nos apresenta os bastidores de um programa matutino da cidade de Nova York tendo que lidar com a recente denúncia de assedio sexual praticada por um dos apresentadores do programa. É neste cenário que somos apresentados a Alex Levy (Jennifer Aniston), co-apresentadora do The Morning Show da UBA e sua equipe sendo pegos de surpresa e tendo que anunciar a saída do seu amigo de programa Mitch Kessler (Steve Carell).


O timing para o lançamento do programa foi perfeito, visto que que ele foi lançado na época em que as denuncias contra Harvey Weinstein estavam dominando Hollywood. Mas nem esse acontecimento fez com que o programa recebesse a devida atenção que ele merecia. Não é atoa que por mais que eu não tenha escrito o texto na época, eu acabei publicado um vídeo no Paponoir falando sobre o show, eu era o único na época a falar sobre ele. Ainda existem poucos vídeos falando sobre a série e muitos do ano passado. 





Assim como no caso Weinstein, onde as estrelas de Hollywood mostravam-se surpresas ao "descobrir" os casos de abusos sexuais praticados por ele, Alex LevyAniston), demostra surpresa ao anunciar no programa que seu amigo de palco era um abusador sexual. O que mais chama a atenção em The Morning Show é como os roteiristas desenvolvem os conflitos de backstage da emissora.


 
Um dos pontos fortes do programa é mostrar que ninguém de fato liga para as vitimas dos assédios e que no final das contas cada membro do programa e a emissora tem uma certa culpa no cartório. Não existe essa de homens são culpados e mulheres são inocentes, em The Morning Show, todos são culpados pelos assédios cometidos por Mitch Kessler, visto que o apresentador realizava suas investidas debaixo do nariz de todo mundo. 


Para os otimistas que a cultura do assédio e misoginia vai "acabar", The Morning Show joga um banho de água fria nos entusiastas que acreditam no Movimento ME TOO e afins. Visto que no programa, as vitimas são usadas como pauta jornalísticas apenas para gerar audiência para o programa e os donos das emissoras e executivos em maioria homens. Muita coisa que tem que mudar para vermos uma luz no fim do túnel. 

The Morning Show é mais que recomendado. O programa deveria gerar bons debates para que possamos saber lidar com as acusações, com as vitimas, com os acusados e com toda nossa cultura. 


NOTA: 8,5 


PS: prestigiem a maravilhosa versão de Creep da série.